WORLD CHOCOLATE MASTERS POSTPONED WITH 1 YEAR AS COMPETITION FOCUSES TO SUPPORT GLOBAL RECOVERY

World Chocolate Masters Logo edition 21_22 - 01

As artisans and chefs are facing the consequences of COVID-19 globally, the World Chocolate Masters will postpone the launch of its competition to start with National Selections as of March ’21 – and the world final to take place in Paris in October ‘22. This new timeline should enable contestants to fully focus on the recovery of their business, and to find the time to prepare for this creative championship as well.

x

 

New timeline

The assignments for all contestants will be:

  •   #YOU Create a mood board explaining your core idea and how it reflects your vision of #TMRW
  •   #DESIGN Create a chocolate design artwork using 6 different techniques and using max. 5 kg of chocolate
  •   #TASTE Create a fresh chocolate patisserie including 3 compulsory ingredients (chocolate / a fruit / a locally sourced ingredient)
  •   #SNACK Create a chocolate snack that is 100% plant based
  •   #BONBON Create a bonbon based on natural ingredients – completely E-number free

The WCM World Final will take place in Paris (France) in October ’22. The exact location will be revealed before the end of 2020.

More:

www.worldchocolatmasters.com 

facebook.com/worldchocolatemasters

instagram.com/worldchocolatemasters

 

ANUGA – 2021

Imagem1

As the world’s largest trade fair for food and beverages, Anuga is an indispensable meeting place for decision-makers from the retail, catering and out-of-home markets. An attractive forum for business, networking and event highlights offers:

Trends & Innovations: No “real” trade fairs have taken place for one and a half years now. What trends have developed in the meantime? Which product innovations are waiting to be discovered by buyers, trend scouts, gastronomes and the media? The Anuga Food Trends, Focus Topics and Conferences show the latest trends from “New Food” and “Lab Meat” to sustainability and personalised nutrition. In addition, discover the innovations of the year at the Anuga taste Innovation Show!

Digital events: Inspiring events await you not only live in Cologne. Digital Anuga @home also offers a comprehensive programme of events – from innovative congresses to exhibitor product presentations.

Guided Tours: Exclusively at Anuga @home: Guided Tours will take place from 11.10.2021, leading to exhibitors with groundbreaking new products. The trend-oriented themes: Meat Alternatives, Dairy Alternatives, Clean Label, Free from & Health Food, Functional Foods and Superfoods.

We look forward to seeing you in Cologne and at Anuga @home. You don’t have a ticket yet? Click here to go to the Anuga Ticket Shop.

Our hygiene concept #B-SAFE4business and our 3G principle CH3CK ensure comprehensive security on the exhibition grounds. Do you have any further questions or requests? Please do not hesitate to contact us. We are always there for you.

A DIFICIL MISSÃO DAS LIDERANÇAS EM TEMPOS DE CRISE

Por: Jacob Cremasco

A vida é feita de ciclos e entre esses muitos que a vida nos oferece, temos momentos de crise, como este agora durante essa terrível pandemia, que nos afetam a todos.

Nesses momentos as lideranças são questionadas a todos os momentos, até porque a grande maioria não sabe o que fazer em situações como a que estamos vivendo, pois muitas perguntas ainda não têm respostas, sendo a principal delas: Quanto tempo mais vai durar tudo isso? Como será o pós-crise? E o comportamento do consumidor voltará ao normal? E o endividamento do País comprometerá o futuro?

Mesmo sem respostas, as lideranças precisam tomar decisões concretas, rápidas e se assertivas ou não, veremos em breve e se necessário, corrigir a rota durante o encaminhamento de tais medidas.

A omissão ou postergação de ações podem sim comprometer o futuro do negócio.

Sempre é difícil tomar medidas duras, é mais fácil pensar na estratégia do negócio, na melhoria das vendas e do resultado, principalmente quando falamos em redução de estrutura de pessoal e até eliminar áreas que naquele momento não estão agregando valor ao negocio da empresa.

Existe uma regra simples em gestão: O que não agrega valor para o negocio nesse momento, está agregando custo!

As parcimônias nessas situações podem comprometer a busca para sair vivo da crise, se você não tem coragem para executar, contrate alguém que a tenha e delegue para que se faça o que deve ser feito!

O líder deve se guiar a todo tempo pelos exemplos dados ao Time, no momento em que você convoca todos a mudarem de posição e refletirem sobre o negócio e o que deve ser feito, colocando celeridade para com todos, se cuide para segurar ações duras que vierem te propor, pois a decisão de não aceitar ou pedir mais análise e consequências, comprometerá o sucesso de ações relevantes que não mais chegarão até você, pelo desestimulo a quem está te propondo.

Não devemos ter pesos e medidas diferentes, se estamos falando em redução de custos de curto prazo, devemos fazê-lo, é o que o momento nos exige e assim deve ser feito.

Momentos críticos exigem retidão e firmeza do líder, que em alguns momentos deve se colocar como “comandante” e estar à frente, verdadeiramente no front, apoiando e dando direção ao seu time.

Manter falsas expectativas que o tudo vai melhorar e os negócios literalmente afundando, é o começo do fim de qualquer organização.

O momento nos exige atuarmos com dados e fatos, com a realidade dos números e além de questionar e pedir relatórios para analises detalhadas, é fazer sim o que deve ser feito e, rápido!

O tempo é uma matéria prima essencial nesse momento, sendo essa inelástica, portanto, execute, de forma cirúrgica e inequívoca!

Se for se emocionar com as decisões, faça de forma reservada, mantenha perante o Time, o semblante sereno e determinado, demonstrando total segurança, mesmo que não a tenha!

Quando esse ciclo se for, sairemos todos mais fortalecidos e terás uma passagem verdadeira da sua vida profissional para avaliar os seus erros e acertos, além de que uma aprendizagem que a levará para a toda a sua vida.

Você além de construir as marcas da sua corporação, estará também construindo a sua própria marca como líder e serás respeitado não pelas duras atitudes tomadas, mas sim, pelo resultado que conseguiu!

O sucesso dos lideres que sempre recordamos e nos servem de exemplos, tem por de trás passagens semelhantes a esse momento, podemos nominar uma série deles até muitas vezes questionados, desde: Sir Winston Churchill na segunda guerra mundial, Lee Iacocca com a Ford e Chrysler, passando por Margareth Thatcher na Inglaterra, e até Abílio Diniz quando o Pão de Açúcar praticamente quebrou.

As lideranças podem ser criticadas por atitudes radicais e até mal pensadas na fotografia da época, mas todos assumirão logo à frente, se não fosse radical e firme nas suas decisões e propósitos, o negócio não teria sobrevivido.

Não cortem somente o cafezinho, mas sim, áreas e departamentos inteiros que não estejam comprovadamente entregando o que deve ser entregue.

O pior voo não é aquele que atravessa as piores turbulências, perde parte da fuselagem, mas pousa com alguns feridos a bordo, mas sim, aquele não chega ao seu destino!

Se ainda tiver duvida e está inseguro, assista ao filme “Sully: o Herói do Rio Hudson”; em uma cena muito forte, quando ficam sem os dois motores do avião, ele diz ao copiloto: Vamos pousar na agua; eu assumo!

Assumamos o manche, sejamos não somente lideres, mas sim comandantes para atravessarmos as piores turbulências, mas que consigamos mesmo com arranhões, sobreviver aos tempos atuais!

Bom comando!

CREMASCO CONSULTORIA CORPORATIVA E NEGOCIOS EMPRESARIAS LTDA.

Junho/21

WholeFruit Evocao

Wholefruit-chocolate-Evokao-Cacao-Barry

Desde 7 de junho de 2021 a Barry Callebaut colocou no mercado internacional um novo chocolate: o WholeFruit Evocao (https://www.wholefruitchocolate.com). De acordo a empresa, é um produto de origem sustentável, sem desperdícios, de rótulo limpo e sabor autêntico. Foi definida como uma nova categoria de chocolate feito do fruto de cacau 100% puro, sem açúcares refinados, lecitina, baunilha ou conservantes. O projeto foi elaborado em parceria com a marca Cabosse Naturals (https://www.barry-callebaut.com/pt-BR/manufacturers/cabosse-naturals), que colabora com 450 pequenas comunidades de cultivo de cacau, participantes do programa de sustentabilidade Cocoa Horizons (https://www.cocoahorizons.org), no Equador.

Para produção de chocolate, cerca de 70% do cacau é descartado e apenas as suas amêndoas são processadas para chegar ao produto final. Com o WholeFruit, a Barry aumentou o aproveitamento da polpa do cacau e conseguiu reduzir o desperdício do fruto em mais de 25%. A iniciativa pretende obter o selo Upcycled Certified (https://www.upcycledfood.org), uma certificação para ingredientes alimentícios reaproveitados, que será implementada este ano nos Estados Unidos pela Upcycled Food Association.

Wholefruit-chocolate-poster

O perfil sensorial, gosto e aroma, foi desenvolvido por técnicos da Cacao Barry junto a 30 dos melhores chefs do mundo. O primeiro produto da nova linha a chegar ao mercado é o WholeFruit Evocao, com 40% menos açúcar do que a maioria dos chocolates intensos e ao leite, adoçado apenas pela frutose da polpa do cacau. O perfil aromático vai da “polpa ao exótico frutado do cacau, além de uma acidez natural e marcante que confere um toque poderoso ao paladar”. Do Brasil, participou a chef chocolatier Renata Arassiro.

Maior aproveitamento do cacau não é necessariamente uma inovação ou novidade do mercado. Em 2019 a Nestlé lançou uma barra assinada pela marca KitKat (Cacao Fruit Chocolate). Em fevereiro de 2021 foi a vez da Lindt lançando a barra Cacao Pur com 82% de cacau e 18% de poupa em pó substituindo o açúcar. No Brasil a Casa Lasevicius  (@casa_lasevicius) também apresentou uma versão 100% cacau adoçado com mel de cacau (da polpa).

637055195740214103MIE_9760

O produto da Barry Callebaut está disponível em quantidades limitadas, inicialmente, na França, Reino Unido, Itália, Canadá, Estados Unidos, Brasil e Japão. O preço médio sugerido é de R$ 230 pelo pacote de 2,5 kg (R$ 92 o kg).

Na cidade de São Paulo, edições limitadas de receitas com WholeFruit Evocao estão disponíveis na Casaria (@casariasp – @chefdiegolozano), na Escola de Sorvete (@escolasorvete – @franciscosantanasorvete) e na loja Renata Arassiro Chocolates (@renataarassirochocolate).

Fontes: https://www.wholefruitchocolate.com | https://forbes.com.br/forbesesg/2021/06/chocolate-sustentavel-cacao-barry-feito-do-fruto-do-cacau-100-puro-chega-ao-mercado-brasileiro/

Imagens: https://www.wholefruitchocolate.com

HISTÓRIA DA PÁSCOA: DA DEUSA EOSTRE AO OVO DE CHOCOLATE

image1

Sem intenção de esgotar o tema, o volume I do e-book História da Páscoa: da deusa Eostre ao ovo de chocolate, buscou reunir informa- ções sobre a história que nos levou ao primeiro ovo de chocolate ofi- cialmente registrado na história do cacau e do chocolate, lançado em Bristol, em 1873, pela empresa britânica J. S. Fry & Sons, tornando-se quase 150 anos depois o maior símbolo comercial da Páscoa.

Ovos e coelhos são símbolos modernos da Páscoa cristã, provavel- mente ressignificados dos cultos pagãos da mitologia nórdica da deusa Eostre, pelo papa Gregório I, no século XII.

A Páscoa judaica, Pessach, significa “passar por cima”, referência aos primogênitos dos judeus salvos da 10a praga proferida por Deus ao povo do antigo Egito. Também celebra o êxodo até a terra prometida de Canaã e mantém acesa a lembrança da escravidão vivida pelos judeus no Egito, como forma de não repetição no futuro, uma celebração à li- berdade. A Páscoa cristã, romana e ortodoxa, com suas origens e tradi- ções herdadas do Pessach, representa a ressurreição de Jesus Cristo, a passagem da morte para a vida, razão pela qual também está associada à ideia de “passagem”.

O uso do chocolate nas festividades da Páscoa tem sua licença his- tórica nas discussões entre eclesiásticos e leigos, que duraram mais de dois séculos e meio, para se entender se o produto, originário da Nova Espanha, atual México, quebrava ou não o jejum da Quaresma.

O volume II do e-book, a ser lançado em 2022, irá abordar a história da Páscoa moderna a partir da produção do primeiro ovo de chocolate, com destaque especial à Páscoa brasileira.

O E-BOOK ESTÁ DISPONÍVEL PARA BAIXAR NO LINKE ABAIXO:

História da Páscoa – Jumar SPedreira

Pesquisa histórica revela quando o Ovo de Chocolate chegou na Páscoa

História da Páscoa: Da Deusa Eostre ao Ovo de Chocolate é um e-book que tem pesquisa e texto de Jumar SPedreira, que fez uma viagem no tempo e nos revela muitas informações importantes, históricas sobre a Páscoa desde os primórdios, muito antes da era cristã, até o ovo de chocolate, que conferiu um viés mais comercial às comemorações da Páscoa.

image1

Dividido em 6 capítulos o e-book aborda a Páscoa em cada contexto histórico.

  • Capítulo 1 – Aspectos Mitológicos
  • Capítulo 2 – A Páscoa Judaica (Pessach), a Páscoa Cristã Romana e a Páscoa Cristã Ortodoxa
  • Capítulo 3 – A Lenda da Lebre e dos Ovos Pintados como Símbolos da Páscoa
  • Capítulo 4 – Sobre Ovos e Coelhos
  • Capítulo 5 – O Chocolate e a Igreja Católica
  • Capítulo 6 – A Origem do Ovo de Chocolate

A Páscoa judaica, Pessach, significa “passar por cima”, referência aos primogênitos dos judeus salvos da 10ª praga proferida por Deus ao povo do antigo Egito. Também celebra o êxodo até a terra prometida de Canaã e mantém acesa a lembrança da escravidão vivida pelos judeus no Egito, como forma de não repetição no futuro, uma celebração à liberdade. A Páscoa cristã, romana e ortodoxa, com suas origens e tradições herdadas do Pessach, representa a ressurreição de Jesus Cristo, a passagem da morte para a vida, razão pela qual também está associada à ideia de “passagem”.

Esse primeiro volume do e-book História da Páscoa: da Deusa Eoestre ao Ovo de Chocolate, destacou o momento em que o primeiro ovo de chocolate aparece na Páscoa. Oficialmente o primeiro registro histórico do cacau e do chocolate, foi em Bristol, na Inglaterra, em 1873, lançado pela empresa britânica J.S. Fry & Sons, tornando-se quase 150 anos depois o maior símbolo comercial da Páscoa.

Ovos e coelhos são símbolos modernos da Páscoa cristã, provavelmente ressignificados dos cultos pagãos da mitologia nórdica da deusa Eostre, pelo papa Gregório I, no século XII.

O uso do chocolate nas festividades da Páscoa tem sua licença histórica nas discussões entre eclesiásticos e leigos, que duraram mais de dois séculos e meio, para se entender se o produto, originário da Nova Espanha, atual México, quebrava ou não o jejum da Quaresma.

O volume II do e-book, a ser lançada em 2022, irá abordar a história da Páscoa moderna a partir da produção do primeiro ovo de chocolate, com destaque especial à Páscoa brasileira.

História da Páscoa: Da Deusa Eostre ao Ovo de Chocolate

E-book volume I

Lançamento: 30 de março de 2021

Para baixar gratuitamente o e-book acesse os links:

DE EOSTRE A EASTER: RESSIGNIFICAÇÃO DE UM CULTO PAGÃO NA INGLATERRA MEDIEVAL?

DE EOSTRE A EASTER: RESSIGNIFICAÇÃO DE UM CULTO PAGÃO NA INGLATERRA MEDIEVAL?

Nathany Andrea Wagenheimer Belmaia*

* O trabalho é fruto da dissertação de mestrado defendida pela autora em 2016, intitulada “De Pessach a pascha, de Eostre a Easter: um estudo da normatização e das ressignificações da Páscoa no mundo antigo e medieval”.

Resumo: No início do século VIII, em De Tempora Ratione, o monge Beda, o Venerável, apresentou uma relação que vinculou o mês de abril do calendário inglês antigo com Eostre, uma provável deusa da primavera, cujo culto teria sido ressignificado pela Páscoa cristã. Devido à falta de outras evidências que atestassem essa adoração, Beda foi por vezes acusado de invenção dessa relação, que criara uma fantasia etimológica em torno de uma influência pagã em uma das maiores festividades do calendário litúrgico da Igreja medieval. No entanto, quais elementos podem ser considerados no estudo dessa asserção de Beda? Com o auxílio da linguística, da relação etimológica com as placas das Matronae Autriahenae e da carta do Papa Gregório I para a missão de Agostinho no sul da Grã- Bretanha em 600 d.C., o intento do presente trabalho é investigar a possibilidade da existência do culto à Eostre e sua ressignificação pela Páscoa cristã na Inglaterra dos séculos VII e VIII.

Palavras-chave: Páscoa; Eostre; ressignificação; matronas; Austriahenae.

LINK ABAIXO:

DeEostreAEaster

Crema Baci

crema-caratteristiche

O famoso bombom de chocolate Baci, conhecido pelo sabor de avelã e os bilhetinhos de amor, lançou na Itália um versão cremosa para concorrer diretamente com a Nutella, o CREMA BACI. O novo produto da Perugina, hoje de propriedade da suíça Nestlé, faz parte das comemorações, em 2022, dos 100 anos do histórico bombom. O novo CREMA BACI promete os mesmos ingredientes do bombom (chocolate e creme de avelã com pedacinhos de avelã picadas), a não utilização de óleo de palma, zero glúten e o famoso bilhetinho romântico.
 
Durante a pandemia, a venda desse tipo de produto aumentou em 50%, enquanto a Nutella registrou um crescimento de 70%.
ingredientes-involucro-baci-leite 
 

AS TENDÊNCIAS DE CONSUMO 2021: REFLEXOS SOBRE A PÁSCOA DO CHOCOLATE EM UM BRASIL PANDÊMICO

Depois da Páscoa de 2020 com perdas e vendas negativas devido a pandemia do coronavírus, o mercado chega a 2021 mais forte e preparado para uma nova Páscoa, porém, ainda com restrições de mobilidade. Entender as atuais tendências de consumo e seus reflexos sobre a Páscoa do chocolate em um Brasil pandêmico, poderá contribuir para o desenvolvimento de estratégias mais assertivas na direção das expectativas dos consumidores.

A Páscoa é uma antiga festividade do ano litúrgico cristão. É repleta de símbolos e celebrações. Os produtos de chocolate são símbolos modernos e associados a presentes, consequentemente, a ideia de felicidade. Páscoa é um momento de confraternização e presentear faz parte da identidade humana.

O artigo completa está disponível no link abaixo:

TendênciasPáscoa-10fev21