Você que tirou fotos no museu ou conhece alguém que visitou o museu pode ajudar …

300px-Fire_at_Museu_Nacional_05

Na noite de 2 de setembro de 2018, um incêndio de grandes proporções atingiu a sede do Museu Nacional na Quinta da Boa Vista (RJ), destruindo quase a totalidade do acervo histórico construído ao longo de 200 anos, e que abrangia cerca de vinte milhões de itens catalogados. Além do seu rico acervo, também o edifício que abrigava o Museu, antiga residência oficial dos Imperadores do Brasil, foi extremamente danificado com rachaduras, desabamento de sua cobertura, além da queda de lajes internas.

Um dos desafios mais imediatos é recuperar e preservar imagens do prédio e do acervo, cuja memória visual são agora nosso principal patrimônio. Você que tirou fotos no museu ou conhece alguém que visitou o museu pode ajudar: crie uma conta no Wikimedia Commons e carregue fotos de relevância.

Editores da Wikipédia estão em contato com curadores do acervo do Museu Nacional para conseguirmos carregar livremente imagens do acervo. Isso inclui imagens técnicas, obras raras e documentação científica.

Parabéns a Wikipédia pela iniciativa. Compartilhem!

Mais informações no endereço abaixo.

https://pt.wikipedia.org/wiki/Wikipédia:Comunicado_sobre_o_Museu_Nacional

CORDEL

Imagem1

[19set18] A LITERATURA DE CORDEL, acaba de ser reconhecida com PATRIMÔNIO CULTURAL DO BRASIL, protegida pelo IPHAN.

Cordelé de herança portuguesa,umamanifestação artística introduzidapor eles no Brasil no final do século XVIII. O nome pode ter origem na forma como tradicionalmente os folhetos eram expostos para venda, pendurados em cordas, cordéis ou barbantes em Portugal.

Éuma manifestação literária tradicional da cultura popular brasileira, mais precisamente do interior nordestino, com muita força nos estados de Pernambuco, Alagoas, Paraíba, Pará, Rio Grande do Norte e Ceará. Viva!

Castelli Escola de Chocolataria firma parceria com o Centro de Inovação do Cacau – CIC.

logo Chocolataria fundo transparente

logo-cic

Laboratório de pesquisas e análises de amêndoas de cacau, o CIC está incubado na Broto incubadora de Biotecnologia da Universidade Estadual de Santa Cruz – UESC, em Ilhéus, Bahia.

A parceria vai promover um maior intercâmbio entre as duas instituições, fortalecendo a troca de experiências e um maior entendimento da importância de um cacau de qualidade para produção de um chocolate de excelência.

Dessa forma, dando início à parceria, foi lançada a primeira programação de cursos, a serem ofertados pela Castelli Escola de Chocolataria em Ilhéus, na sede do CIC, onde os alunos terão a oportunidade de vivenciar o cultivo e pré-processamento das amêndoas de cacau nas fazendas parceiras, bem como praticar o processamento da amêndoa até a modelagem final da barra de chocolate nos laboratórios de ponta da instituição.

“Acreditamos que a parceria, com essas duas instituições vocacionadas em suas expertises, vem enobrecer nosso país e estimular de forma excepcional este novo mercado do cacau finoe do chocolate de verdade e de origem”, diz Silvana Castelli,diretora da Escola.

Para o Diretor Executivo do CIC, Cristiano Villela, “essa parceria é estratégica para o Centro de Inovação do Cacau, porque ela irá fortalecer ainda mais a cultura empreendedora e inovadora voltada para a cadeia do cacau e do chocolate, além de fazer com que os profissionais formados pela Castelli entendam que um chocolate de excelência passa pela seleção de amêndoas de qualidade. O que tem tudo a ver com o que estamos promovendo aqui no CIC. A busca pela melhoria geral da qualidade do cacau brasileiro, muito baseada em ciência, e na busca de conhecimento”.

Programação:

  • DA ÁRVORE DO CACAU À BARRA DO CHOCOLATE – 88 horas / Ilhéus/BA / Turma 1: de 14 a 26 de janeiro de 2018 / Turma 2: de 11 a 23 de fevereiro de 2019.
  • FORMAÇÃO EM CHOCOLATARIA GOURMET – 208 horas /  Ilhéus/BA e Canela/RS / Turma 1: 11 de fevereiro de 2019 [Aulas em semanas com 40 horas de atividades, intercaladas a cada 5 semanas, a excessão das duas primeiras que ocorrem em sequencia].

Mais informações sobre os cursos: www.castelliescolachocolataria.com.br

Primor promove o Maior Bolo de Rolo de Caruaru pelo segundo ano consecutivo

Evento acontecerá no próximo dia 07 de julho e promete atrair milhares de pessoas

Poucas sobremesas representam tão bem um estado quanto o bolo de rolo pernambucano. E esta delícia ganhará uma versão gigantesca na edição 2018 da Festa do Bolo de Rolo Gigante. Pelo segundo ano consecutivo, a Primor, marca de margarina mais vendida do Nordeste, será uma das patrocinadoras da produção desta iguaria tão querida pela população local e também por turistas.

Em sua 4º edição, o evento é promovido pela União dos Criadores de Comidas Gigantes de Caruaru e organizado pelos irmãos Alda e Adalberto Carvalho. Conhecido também como “O Maior Bolo de Rolo de Caruaru”, a sobremesa terá entre seus ingredientes a margarina Primor, que trará ainda mais sabor e textura macia ao bolo de rolo.

Na edição de 2017, a festa atraiu milhares de pessoas, entre a população local e turistas, que vão à Caruaru para as festividades juninas.  “É uma honra para a Primor participar de um evento que representa a cultura regional como o Circuito de Comidas Gigantes. Este ano já estivemos no ‘Maior Cuscuz do Mundo’ e no ‘Maior Pé de Moleque do Mundo’ e a receptividade do público foi incrível. Estamos animados com a nossa participação no Maior Bolo de Rolo e ficamos felizes em poder contribuir com essa festa”, afirmou Rosangela Barbosa, gerente de marketing de margarinas de Bunge.  “Estamos completando sessenta anos em 2018 e, durante todos esses anos, Primor levou aos lares nordestinos um produto que alia qualidade e praticidade à todos que fazem suas receitas com primor. Somos líderes em vendas no Nordeste e esse tipo de evento traduz nosso conceito de carinho e cuidado no preparo de pratos deliciosos, e é também uma ótima oportunidade de interagirmos com nosso consumidor”, completa.

A Festa do Bolo Gigante acontecerá no próximo dia 07 de julho (sábado), na rua Barão de Caruaru, no bairro do Salgado, a partir das 18h.

Ref: In Press Porter Novelli

 

O Ritmo Brasileiro no Terra Madre Salone del Gusto

No Terra Madre Salone del Gusto, em Turim, Itália, de 20 a 24 de setembro de 2018, está prevista a participação de uma grande delegação do Brasil.

  • Organizada pelo Slow Food, em colaboração com o governo da Região Piemonte e o Município de Turim, a 12ª edição do Terra Madre Salone del Gusto é o maior evento internacional dedicado à cultura alimentar. Em Turim, se reunirão mais de 5.000 delegados de 140 países, mais de 800 expositores, 300 Fortalezas Slow Food, e 500 comunidades do alimento do Terra Madre.
  • A delegação do Slow Food Brasil inclui cerca de 100 pessoas: agricultores familiares, produtores, acadêmicos, chefs, ativistas da Rede Jovem Slow Food (Slow Food Youth Network – SFYN), estudantes, representantes das comunidades indígenas e alguns membros do Conselho do Slow Food Brasil, como Georges Schnyder, membro do Comitê Executivo Internacional. Falando sobre o Terra Madre Salone del Gusto, Georges afirma: “Tenho muito orgulho de ser parte da rede internacional do Slow Food, representando uma delegação que participará do Terra Madre Salone del Gusto 2018. Food for change (alimentos para a mudança) é o tema da próxima 12a edição e tenho certeza de que, através da troca e do diálogo com pessoas que têm culturas, idiomas e hábitos diferentes, cada um de nós voltará para casa enriquecido, com mais entusiasmo, com o desejo de levar adiante nossas atividades, lutando por um futuro melhor para o nosso planeta”.
  • No Mercado Internacional, organizado no Lingotto Fiere e no Oval, as Fortalezas brasileiras serão divididas por áreas geográficas: a Região Norte apresentará o Waraná Nativo dos Sateré-Mawé, mais conhecido como guaraná que, em língua indígena, significa o “início de todo conhecimento”, e o Mel de Abelha Canudo dos Sateré-Mawé. Da Região Nordeste, o Maracujá da Caatinga, o Licuri (fruta da palmeira licuri do semiárido baiano), o Umbu (cujo nome deriva de y-mb-u que, em tupi-guarani, significa “árvore que dá de beber”), e o Mel de Abelha Mandaçaia da Caatinga. A Região de fronteira entre Centro-Oeste e Sudeste será representada pela Castanha de Baru. Além disso, serão apresentadas uma série de novas Fortalezas que estão prestes a serem reconhecidas pela Fundação Slow Food para a Biodiversidade: o Cacau Cabruca do Sul da Bahia do Nordeste, o Pequi do Norte de Minas Gerais do Sudeste, o Gergelim Kalunga e o Pequi do Xingu do Centro-Oeste, e o Butiá do Litoral Catarinense e a Farinha de Mandioca dos Engenhos de Santa Catarina da Região Sul.
  • Este ano, coração do Terra Madre Salone del Gusto serão as áreas dedicadas ao #foodforchange: o Slow Food identificou cinco sujeitos sobre os quais está trabalhando com atenção, adotando uma abordagem positiva e inclusiva.
  • A área dedicada às Abelhas e Insetos será sede do Fórum Terra Madre  As Abelhas sem Ferrão e o Extraordinário Mel da América Latina (23 de setembro, às 16hs00 – no Torino Lingotto Fiere). De fato, na Caatinga, como em muitas outras regiões da América Latina, a diversidade de espécies de abelhas contribui para a sobrevivência e manutenção de raros ecossistemas.
  • Na área do Slow Fish haverá um Laboratório do Gosto sobre a Cozinha Baiana: Sabores do Mar e Dendê (22 de setembro, às 17hs30 – Torino Lingotto Fiere).
  • A importância do azeite de dendê em sua casa, a Bahia, reflete-se em dois pratos tradicionais: a moqueca, um prato à base de peixe e mariscos, com leite de coco e azeite de dendê; e o acarajé, um bolinho tradicional à base de feijão e camarão. Dois chefs de Salvador, membros da Aliança de Cozinheiros do Slow Food, Caco Marinho do Dog American BBQ e Fabrício Lemos do Restaurante Origem, apresentarão esses pratos-símbolo por ocasião do fórum.
  • O Fórum do Terra Madre sobre Baby Food (24 de setembro, às 11hs00 – Torino Lingotto Fiere) será na área temática dedicada a Alimentação e Saúde. Entre os palestrantes, também a Bela Gil, a chef, apresentadora, escritora, blogueira influenciadora, que acaba de publicar um livro sobre alimentação saudável durante a gravidez e amamentação.
  • Sempre na área Alimentação e Saúde, Glenn Massakazu Makuta, biólogo e articulador do Slow Food Brasil, orientará o Fórum Terra Madre Imposto sobre Açúcar e Slow snacks: como Lutar contra o junk food (23 de setembro, às 11hs00 – Torino Lingotto Fiere), apresentando a própria experiência com a Aliança para Alimentação Saudável e falando sobre como promover hábitos alimentares saudáveis, em particular nas escolas.
  • Mas não é só isso: as Cozinhas do Terra Madre, por exemplo, serão testadas com um novo formato, reunindo o melhor da gastronomia mundial, numa única sede. Chefs dos quatro continentes prepararão pratos tradicionais legítimos de cada país, utilizado produtos de suas terras nativas, com criatividade e paixão. Aqui, o Brasil será representado por Eliane Regis, Caco Marinho, Fabrício Lemos, Camila Rocha, e Maria da Conceição, membros da Aliança de Cozinheiros Slow Food que brindarão a oportunidade de experimentar os sabores desse enorme país.
  • Os Laboratórios do Gosto e as Escolas de Cozinha são eventos a pagamento, cujos ingressos podem ser comprados online; os Fóruns temáticos do Terra Madre são apresentados pelos delegados da rede e são abertos ao público até esgotamento das vagas disponíveis. Clique aqui para a lista de eventos disponíveis, que é atualizada constantemente.

 

 

  •  Terra Madre Salone del Gusto é um evento organizado pela Cidade de Turim, o Slow Food e a Região do Piemonte, em colaboração como MIPAAF (Ministério italiano para as politicas agrícolas, alimentares e florestais). O evento é possível graças ao apoio de muitos patrocinadores, mencionamos aqui os Parceiros Oficiais: GLEvents-Lingotto Fiere, IREN, Lavazza, Lurisia, Parmigiano Reggiano, Pastificio Di Martino e Quality Beer Academy; com o apoio da Compagnia di San Paolo, Fondazione CRT-Cassa di Risparmio di Torino, Associazione delle Fondazioni di Origine Bancaria del Piemonte, e Coldiretti. Com a contribuição do FIDA, União Europeia e CIA (Confederação Italiana de Agricultores).
  • O Slow Food é uma organização global que luta por um mundo onde todos possam ter acesso e apreciar um alimento bom para eles, bom para quem cultiva e bom para o planeta. O Slow Food reúne mais de um milhão de ativistas, chefs, especialistas, jovens, agricultores, pescadores e acadêmicos, em mais de 160 países.

Mistura para Bolos União

big

Mais uma grande extensão de marca para novas categorias de empresa centenária: Mistura para Bolo União. A marca é sendo composta por três linhas. Favoritos da Casa, nos sabores laranja, baunilha, coco, cenoura e fubá, Sabores Irresistíveis, com misturas de chocolate, pão de mel e brownie e Delícias Integrais, que traz os sabores banana e maçã com canela e é a única no mercado que conta com açúcar demerara e farinha integral na composição das receitas. As embalagens estão disponíveis em 400g, exceto fubá (450g) e brownie (480g).

Maizena – Grão do Bem

1132347-familia-maizena-graos.png.rendition.1960.1960A Maizena, marca tradicional de 120 anos, lançou nova linha de produtos voltada à saudabilidade. “Grãos do Bem” é composta por mix e barras de cereais, cookies e biscoitos integrais, trazendo cereais importantes na atual alimentação saudável,  quinoa, chia, amaranto e linhaça, além de trigo e milho.

Coca Cola Clear

e9b49048-d89d-43a0-b740-8cfb4dff87f5-coke-clear-hero

Parece água, mas não é. É Coca-Cola mesmo. Acredite! A nova versão para o refrigerante, chamada de Coca-Cola Clear, chegou ao Japão esta semana, sem cor e com zero caloria, mas com a promessa de muito sucesso num mercado em que as bebidas transparentes viraram moda.

O lançamento foi divulgado pelo site “Japan Today”, que testou o refrigerante em primeira mão. De acordo com a publicação, a versão Clear tem quase o mesmo sabor da bebida tradicional. Mas o lançamento tem um leve toque cítrico que, segundo quem o experimentou, garante um tom mais refrescante.

A Coca-Cola transparente é também menos doce, por não ter caramelo em sua fórmula. Aliás, o ingrediente é o que dá a cor marrom à versão original. De acordo com informações do rótulo da garrafa Clear, a bebida tem 1% de suco de limão em sua composição, o que tornaria o sabor parecido com o da Coca-Cola de limão dos Estados Unidos.

A ideia da bebida transparente partiu da sede japonesa da empresa. A nova fórmula, porém, foi desenvolvida na sede dos Estados Unidos e levou um ano para ser finalizada.

Por enquanto, o refrigerante transparente será comercializado apenas no mercado japonês. A explicação? A indústria de lá tem cada vez mais investido em bebidas que não parecem refrigerantes. Não há, portanto, previsão de chegada ao Brasil. Para experimentá-la, é preciso voar para o outro lado do mundo.

Ref: Jornal Extra

coca-cola-clear*750xx528-297-0-2