Marca Activia é Relançada com Grandes Novidades

A maior marca de iogurtes do Brasil traz ao mercado uma renovação de sua identidade visual, com um novo posicionamento de marca, embalagens inovadoras nos líquidos de 850g e 1250g, inovações com ingredientes diferenciados e uma nova fórmula, mais cremosa e saborosa, para o polpa de morango, que ganha ainda mais pedaços da fruta. Para as novidades, a Danone inicia uma das maiores ações de degustação já feitas na marca, com presença em 680 lojas em todo o Brasil. Confira as novidades da marca:

- Café da Manhã: no sabor Maçã, Canela e Cereais.
– Café da Manhã Light: nos sabores Lichia, Água de coco, Pêra e Cereais & Tangerina, Morango, Maçã e Cereais.
– Edições Limitadas: Tangerina e Água de coco em garrafinhas de 170g; Limão e Capim cidreira em garrafinhas de 170g; Polpa 400g Laranja, cenoura e mel & polpa 400g 3 limões.

7d4c3d60-b1c7-4d96-907b-1d7cef6779db_imagem-informe

Friboi Lança Plataforma Gastronômica

A marca apresenta a “Academia da Carne Friboi”, uma plataforma digital especializada em carne bovina (www.academiadacarne.com.br), com conteúdo que englobam tipos de cortes e receitas até cursos em vídeo, dicas de chefs e uma rede social exclusiva. A campanha inicial conta com quatro teasers publicitários estrelados pela apresentadora Ana Maria, e os chefs Oliver Anquier e Guga Rocha, embaixadores do projeto e atuarão como elaboradores de conteúdo no canal. Os filmes retratavam as principais dúvidas dos consumidores nos momentos de preparo da carne. A estratégia de divulgação vai se estender ao longo do ano, com sete filmes exclusivos que serão veiculados em território nacional.

d96a9aa5-ab09-446f-a34b-06d5410ca1f7_friboi

2087.gc

Gelatinas Royal e Snoopy se Unem Para Impulsionar Vendas

As gelatinas Royal ganharam um novo parceiro em suas embalagens: o carismático Snoopy. Com a parceria, a marca procura resgatar memórias das mães de hoje que acompanharam o personagem na infância e reforça a sua estratégia de licenciamentos que sempre se mostrou um sucesso em vendas, quem já marcou presença nas embalagens Royal foram: Rio 2, Bob Sponja e Shrek. Para a divulgação, Royal traz embalagens diferenciadas nos quatro principais sabores com os personagens do filme interagindo com a embalagem, além de joguinhos no verso. O plano de mídia programado para o 1º trimestre de 2016 contempla TV fechada, ações em cinemas, digital e forte exposição de materiais de PDV’s em mais de 4 mil lojas espalhadas pelo país, serão mais de 25 milhões de pessoas impactadas pelas ações. (Fonte: gironews.com)

51361ee3-22c1-4211-bd70-2d9aac246d8a_Imagem_-_Informe

Nívea – Viva o Rock Brasil 2016

Em meio a grande escassez de iniciativas culturais, a Nívea mantenhe-se em linha com seu projeto musical, trazendo qualidade cultural para o popular. Com o tema Viva o Rock Brasil, o projeto Nívea 2016 apresentará uma série de shows em homenagem ao Rock nacional. A turnê terá a presença de Pitty, Nando Reis, Hebert Vianna e Paula Toller em shows que passarão por diversas cidades do Brasil. Isso é sabedoria mercadológica. Viva Nívea!

Imagem1

Bom Custo e Ótimo Benefício

É o que os vídeos online oferecem como ferramenta de marketing, desde que sejam bem trabalhados e tenham conteúdo relevante para o cliente

Fonte: www.sm.com.br

Apostar em vídeos pode ser uma maneira interessante para tornar a comunicação com o cliente mais rápida, interativa e eficiente. Afinal, é um formato já bem-aceito pelo público em função da massificação da televisão. O uso de recursos como imagens em movimento, efeitos especiais, cores, trilhas e áudio podem tornar a comunicação de conteúdos mais dinâmica. Essa ferramenta tem grande potencial para ampliar seu alcance, mas é preciso estar atento para desenvolver um produto de qualidade e com conteúdos realmente importantes e valorizados pelos consumidores do seu supermercado.

Pesquisa da ComScore e da Shutterstock mostra que se um vídeo estiver vinculado a um e-mail marketing, a chance de a mensagem ser aberta pelo destinatário cresce 96%. Já em perfis online, as pessoas estão duas vezes mais propensas a vasculhar quando encontram algum vídeo. Por essa razão, as empresas têm apostado cada vez mais nessa ferramenta. Só em 2014, ao menos 36% dos vídeos assistidos pela web apresentavam algum tipo de propaganda, aponta o mesmo estudo. E a tendência é aumentar. Mas, para potencializar o resultado, é preciso entender melhor essa ferramenta.

O mercado (Fontes: ComScore e da Shutterstock, PwC (PricewaterhouseCoopers), IabBrasil, Cisco e estimativas de mercado)

  • 35% dos consumidores brasileiros usam as redes sociais para ver vídeos cujo conteúdo de alguma forma está relacionado a marcas e a produtos
  • 68 milhões de brasileiros assistiram a 11 bilhões de vídeos online, em janeiro de 2014
  • 20% das pessoas assistem a vídeos pela web durante seus trajetos diários
  • Até 2019, o consumo de vídeos pela internet deve triplicar no Brasil
  • 41% é quanto a procura por resultados em vídeos pela internet é maior do que a pesquisa por textos
  • 30% é o aumento gerado por vídeos nas vendas de e-commerce

Vitalizam rápido – Quem gosta do conteúdo de um vídeo adora compartilhá-lo com parentes e amigos por meio das redes sociais, o que significa mais e mais pessoas impactadas. A popularização de aparelhos móveis com acesso à internet, caso de celulares e tablets, também contribui, pois eles permitem assistir a vídeos online em qualquer lugar e a qualquer momento. Estudo da Ooyala revela que 34% dos vídeos assistidos pela internet no último trimestre de 2014 foram executados a partir de dispositivos móveis. Os vídeos se destacam nos mecanismos de buscas online, como o Google, gerando mais visualizações.

Mais vantagens - Um vídeo online ajuda a tornar uma rede ou loja mais conhecida. O mesmo vale para campanhas, serviços, promoções, bem como ações com apelo social e sustentável, por exemplo. A ferramenta ainda ajuda a empresa a desenvolver uma relação mais íntima com os clientes e até manter a marca na memória dos consumidores. Atrair mais clientes para a loja e estimular vendas são mais vantagens. Os vídeos online também agregam valor à imagem da loja, pois são avaliados pelo público como algo inovador.

Alguns cuidados

  • Os vídeos não podem dar a impressão de que são caseiros. Isso significa que não devem ter gravação e edição grosseira, roteiro mal escrito, conteúdo pobre e fontes de informação duvidosas. Caso contrário, não vão transmitir confiança e o impacto será negativo. Se a empresa não tiver um funcionário que tenha experiência ou maior aptidão para a tarefa, uma alternativa é contratar uma produtora para desenvolvê-lo. Esses profissionais podem ajudar em todo processo de produção, como a montagem do roteiro, geração de conteúdo, equipamentos e gravação, além de edição com uso de recursos diferenciados. Mas, caso o orçamento não caiba nas despesas da empresas, é possível criar vídeos mais simples e baratos com uso de câmeras de celulares e programas de edição online. Há diversas opções gratuitas. Outra possibilidade é optar por ferramentas online que oferecem modelos já pré-definidos a preços acessíveis e que ajudam a dar efeito mais profissional. Alguns exemplos: Producteaser, Sola Fria, Stayfilm, Animoto, Stupeflix, GoAnimate, WeVideo, Powtoon. Vale a pena avaliar.
  • Para montar um bom vídeo, a empresa deve, em primeiro lugar, definir o objetivo com a mensagem a ser transmitida. Pode ser reforçar a cultura e os valores; aumentar o tráfego para o portal; desenvolver a marca; divulgar uma campanha, ação social, novo serviço, parceria ou promoção. Um vídeo online pode ser usado até mesmo para recrutar candidatos. O fundamental é que o tema seja positivo e de interesse de quem vai assistir (clientes, fornecedores, funcionários, etc.).
  • Definir o tipo de vídeo que mais se enquadra no objetivo escolhido é o passo seguinte. Pode ser institucional, tutorial, entrevista, talk show, animações entre outros. Vale destacar que o uso de depoimentos de clientes, fornecedores e funcionários dá maior credibilidade às mensagens transmitidas gerando mais engajamento do público.
  • O vídeo tipo viral está na moda. A fórmula ainda não é muito clara, mas tem feito sucesso na internet. É comum o conteúdo ter humor e cenas espontâneas. Mas nada de piadas com os clientes, fornecedores ou do tipo racial e religiosa. Evite ainda envolver questões políticas e polêmicas para não surtir efeito negativo.
  • A duração de cada vídeo marketing deve ser pequena. O ideal é ter até dois minutos, porque na internet as pessoas não têm muita paciência ou tempo para assistir um conteúdo longo. Há ainda o risco de a mensagem não ser visualizada até o fim e, dessa forma, não gerar o resultado esperado.
  • A publicação do conteúdo deve ocorrer tanto no portal, quanto nos blogs da empresa, assim como em seus perfis nas redes sociais (Facebook, grupos de WhatsApp, Linked in, Instagram, Twitter), além das TVs digitais dentro das lojas. É importante que a cada postagem haja intervalos de envio para atingir mais público e em diferentes momentos. Acompanhar os acessos em cada canal ajuda a saber em quais horários ocorrem os picos de acesso e, assim, portar o conteúdo nesses períodos. Estimular os funcionários a compartilhar os vídeos também ajuda que viralizem rapidamente.
  • Criar uma página da empresa no Youtube na qual os vídeos serão publicados é recomendado. O Youtube permite construir uma galeria online dividida por temas, com os vídeos já disponíveis. Isso ajuda o público a encontrar mais facilmente o que procura na página. No portal e nas redes sociais da empresa, por exemplo, é possível usar o link do vídeo já publicado no Youtube. Ele reduz automaticamente o tamanho dos vídeos permitindo que rodem em todas as páginas da internet sem sobrecarregá-las.
  • Trabalhar com palavras chaves na hora de publicar os vídeos no Youtube é válido. Elas fazem parte de um mecanismo de busca na web que ajuda a sugerir um vídeo para mais pessoas. Para identificar os termos que vão gerar mais audiência para o vídeo a dica é utilizar o Google Trends. Essa é uma ferramenta gratuita do Google que mostra quais palavras estão sendo mais buscadas na internet no momento.
  • Acompanhar os resultados de acessos vai ajudar a saber se a ação está dando certo, quais temas geram mais visualizações, quais podem ter sido rejeitados, entre outros. Os acessos podem ser medidos tanto pelo Youtube, quanto pelo Google Analytics, outra ferramenta gratuita do Google, que mapeia tráfego pelas páginas da internet. Ela consegue mapear a origem do acesso. As redes sociais também contam com ferramentas para esse tipo de análise.
  • Responder sempre aos comentários online sobre o conteúdo dos vídeos é um dever da empresa. A recomendação é que a conversa com a audiência seja o mais transparente e positiva possível, a fim de mostrar a preocupação da companhia. Essas dicas vão ajudar sua empresa a tirar maior proveito dos vídeos como ferramenta digital.

Avon Anuncia Mudanças Para Voltar a Crescer

Pouco mais de um mês depois de vender a divisão norte-americana, a Avon se reuniu com seus investidores para apresentar suas novas estratégias. Cortes de custo, reforço de marcas e dos revendedores são algumas das medidas de um plano de três anos apresentado por executivos, segundo reportagem do Exame.com. Entre as metas, a Avon planeja reduzir as despesas em US$ 350 milhões, quantia que será usada em investimentos, fortalecer a imagem da marca e a relação com as revendedoras, por exemplo, com a abertura de uma plataforma online para que as representantes entrem em contato com os consumidores, como fez a Natura.

avon

Mudanças
Além de reforçar a marca Avon, a empresa também vai buscar fortalecer a imagem e presença de outras 40 de seu portfólio. Ao invés de serem vistos como vários produtos desagregados, o portfólio será dividido em blocos similares e será categorizado por preço e público alvo, das marcas mais caras às mais populares. No Brasil, a empresa busca desenvolver as fragrâncias da Coty.
Com um time de 100 milhões de revendedoras, 1,5 milhão só no Brasil, a empresa quer melhorar o seu relacionamento ao dividi-las em categorias. Enquanto aquelas que acabaram de entrar no negócio receberão mais treinamentos, as mais experientes terão um relacionamento mais próximo com a marca. A última campanha da empresa, inclusive, trocou as tradicionais modelos e celebridades por revendedoras, para reforçar a imagem de dependência desse time.

Coca-Cola Apresenta Novo Posicionamento

A companhia anunciou sua nova estratégia de marketing global com o conceito: “Sinta o sabor”. A última grande mudança de posicionamento da empresa foi em 2009, quando lançou o slogan “Abra a Felicidade”. No Brasil, dois comerciais serão veiculados em TV aberta e fechada.

sinta-o-sabor-coca-cola-4

Cookies

De 2010 a 2014, o mercado de cookies mais do que dobrou em volume. E, mesmo com a crise, o consumidor não tirou o produto do carrinho de compras

iStock_000014587566_Small

O pequeno biscoito achatado com gotas de chocolate surgido na Europa e idolatrado nos Estados Unidos tem também aguçado o paladar dos brasileiros. Apesar de o cookie não ser o segmento mais importante dentro da categoria biscoitos os recheados ainda lideram a preferência dos shoppers ele vem se desenvolvendo e abocanhando, aos poucos, fatias desse mercado. Segundo a Abimapi (Associação Brasileira das Indústrias de Biscoitos, Massas alimentícias e Pães e Bolos industrializados), as vendas de cookies tiveram alta de 275% em valor entre 2010 e 2014. Em volume, o aumento foi de 190% no mesmo período. “Mesmo diante da crise, as pessoas continuam consumindo o produto. O que tem mudado é o hábito de compra. O shopper escolhe uma embalagem menor ou troca de marca. Mas não tem deixado de colocar o item no carrinho de compra”, explica Claudio Zanão, presidente da entidade.

Estudo recente da Kantar Worldpanel, de julho de 2014 a junho de 2015, revela que a categoria está presente em 37% dos lares brasileiros. Houve um aumento de 22% no número de domicílios que compram o produto de um ano para o outro. Para Fernanda Frigo, executiva de contas da Kantar Worldpanel, um dos motivos para a alta pode ser o fato de o cookie ter menos chocolate do que um biscoito recheado. Assim, é possível que o consumidor acredite estar consumindo menos gordura. Soma-se a isso aspectos como ser um produto diferenciado no mercado brasileiro e ter apelo à indulgência, além da questão da saudabilidade, no caso dos integrais. “Essa versão cresce tanto quanto os cookies sabor chocolate”, explica a executiva.

20151218_categorias_grafico_venda_cookies

Segundo Marcela Mariano, diretora da categoria de biscoitos da PepsiCo Brasil – que atua no segmento de cookies com as marcas Toddy e Quaker –, os itens saudáveis apresentam maior representatividade no mercado. Portanto, ações nas lojas para incentivar a compra desse segmento resultam em bom retorno de vendas. Outra empresa que aposta na linha de saudáveis é a Jasmine, que trabalha com versões integral, diet, light, orgânico e sem glúten.

A empresa registrou aumento de 25% no ano passado, conforme Damian Allain, diretor de mercado da fabricante. Para 2015, a companhia espera crescer em torno de 20%, impulsionada pelo lançamento de novos produtos. E, em 2016, está prevista a inauguração de uma nova unidade fabril em Campina Grande do Sul (PR).

Já a Schär Brasil foca seu portfólio na linha sem glúten. Segundo Ticiana Menezes, diretora comercial da empresa, é importante oferecer variedade de biscoitos para o consumidor, de acordo com sua necessidade e gosto. A empresa pretende fechar o ano com crescimento de vendas em torno de 20% em relação ao ano passado. Quem também está otimista é a Grings Alimentos. A perspectiva é de que os cookies representem neste ano 10% da venda total. “Estamos focando quatro sabores em um mix de 80 itens”, conta Rodrigo Teodoro Contini, gerente de vendas da fornecedora. Mais uma companhia que espera expansão na categoria é a Vitao Alimentos. A expectativa é de que os cookies integrais cresçam 11,5%.

Para atrair novos consumidores, o ideal é ter no mix embalagens menores de cookies, pois servem como porta de entrada para a categoria. “Versões com até 150 g têm menor desembolso, o que favorece a experimentação, ainda mais no atual momento econômico. Além disso, a embalagem menor também pode ser tratada como snack, opção de alimentação fora do lar”, explica Fernanda Gomes, gerente de atendimento da Nielsen.

20151218_categorias_grafico_cookies_embalagem_menor_vendida

Dados da consultoria apontam que o tíquete médio por compra na categoria atingiu R$ 4,91 entre agosto de 2014 e o mesmo mês deste ano. Para Tarley Maia Kotsifas, presidente da Rede Bom Dia, 35 lojas na região de Maringá (PR), consumidores de todas as classes sociais consomem cookies. Desde que esses biscoitos entraram no sortimento no ano passado, houve um aumento de 30% das vendas. “Tanto que já aumentamos o espaço na gôndola”, diz. Ele explica que, quando é feita alguma negociação com o fornecedor para reduzir o preço, o espaço de exposição cresce até 20%. Para acomodar o maior número de mercadorias, a empresa retira das gôndolas itens que têm menores vendas.

Quem também comemora os resultados dos cookies é Diego Cicconato, coordenador de Inteligência de Mercado da rede Pague Menos, com 20 lojas no interior de São Paulo. “As vendas desses produtos vêm crescendo acima de 30% ao ano. O segmento tem atraído novos clientes e aumentado o tiquete médio da categoria inteira de biscoitos”, afirma Cicconato. Ele conta que, em função do sucesso do produto, houve uma ampliação de 35% do espaço em gôndola para acomodar os cookies. “As versões integral/sem glúten também mereceram destaque na prateleira”, conta o executivo. Para destacar o produto, a rede paulista adequou os espaços de outros itens de acordo com o percentual de participação nas vendas. Alguns itens de biscoitos e de produtos naturais com menor saída foram excluídos do sortimento.

A expectativa é de que as vendas de cookies continuem em alta. Aproveite esse mercado em expansão e aposte nesses biscoitinhos que, na verdade, nasceram de um acidente na cozinha. É o famoso erro que dá certo.

Fonte: Supermercado Moderno – www.supermercadomoderno.com.br

Categoria tem potencial de crescimento

  • 37% percentual de lares em que a categoria está presente (julho 2014 a junho 2015) / 22% alta na presença nos lares do País (julho 2014 a junho 2015) [Fonte: Kantar Worldpanel]
  • R$ 4,9 ticket médio em cada compra na categoria (agosto 2014 a agosto 2015) [Fonte: Nielsen]
  • Supermercados apostam nos cookies / 35% foi quanto a Rede Pague Menos (SP) aumentou o espaço de exposição de cookies na gôndola / 25% é a previsão de alta nas vendas do produto no Pague Menos para 2015 / 30% é o aumento das vendas de cookies no último ano na Rede Bom Dia (PR) [Fonte: Empresas]

Schin Refri muda nome para Viva Schin

Viva-Schin-Nota

A Brasil Kirin fará uma reformulação completa em sua linha de refrigerantes. Antes chamada de Schin Refri, a divisão ganha o nome de Viva Schin e terá, além de uma nova identidade visual, uma nova face em suas embalagens e também em sua linha de comunicação. A nova marca será apresentada ao público a partir dessa semana, em sinergia com o conceito “Viva Junto. Viva Schin”. A marca reforçará a importância dos momentos importantes e felizes compartilhados entre pessoas que se gostam e irá reforçar seus atributos na comunicação, como o programa Açúcar na Medida, que vem reduzindo gradativamente a quantidade de açúcares presentes nos refrigerantes da Brasil Kirin. As embalagens dos produtos também serão modificadas, ganhando mais cores e um visual mais moderno. A linha Viva Schin terá refrigerantes nos sabores Guaraná, Guaraná Zero, Laranja, Limão, Citrus e Uva. Para divulgar a novidade, o grupo fará uma campanha em diversos canais de comunicação, com comerciais na TV aberta, rádio, mídia externos e redes sociais. Um site também irá reunir todas as informações da nova linha. Veja uma das peças abaixo (Fonte: meioemensagem.com.br).

Viva-Schin-Grande

Friboi Reforça Posicionamento com Food Trucks

A empresa iniciou um projeto em parceria com food trucks da capital paulista como forma de aumentar a presença da marca nas ruas e reforçar o conceito de qualidade e confiança, adotado como posicionamento nos últimos anos. Atualmente são 13 trucks parceiros e a meta é alcançar a marca de 50 até o final do ano.

Através de uma empresa especializada em praças de alimentação, a Friboi entrega os pedidos aos Food Trucks. A parceria foi fundamental para que o projeto nascesse, já que através dela foi possível garantir mais volume, junto a preços também atrativos aos operadores, além de um atendimento mais personalizado. Como apoio à parceria, a Friboi oferece ainda uma verba de mídia para os trucks impulsionarem sua divulgação, além de materiais de exposição da marca.

Fontes: gironews.com / catracalivre.com.br

friboi_8